Benefícios aos trabalhadores que fazem parte da Seguridade Social

outubro 9, 2019 Geraldo 0

O Seguro Desemprego 2020 é um dos benefícios que fazem parte da chamada Seguridade Social. A seguridade social está prevista na constituição federal de 1988 e promove maior senso igualitário entre as pessoas. Porém sempre há dúvidas de quem tem direito ao seguro desemprego.

Faz jus a esse benefício as pessoas que trabalharam de forma registrada e que foram mandadas embora de seus empregos sem justa causa. Os valores a serem pagos pelo banco Caixa Econômica Federal variam de acordo com o tempo que a pessoa trabalhou registrado e também quanto essa pessoa ganhava de salário por mês.

Quem tem Direito ao Seguro Desemprego

Uma das perguntas mais comuns quanto a esse benefício é: quem são os trabalhadores que tem direito a receber? Simples. Tem direito a receber os trabalhadores que comprovarem vínculo empregatício (carteira assinada) por pelo menos 01 ano (12 meses) e que não tenham sido mandados embora por justa causa.

O pagamento do benefício é feito em, no mínimo 03 parcelas e no máximo 05 parcelas, tudo depende do tempo de contribuição que você teve. Se você trabalhou 01 ano, então terá 03 meses de benefício, a partir de 1 ano e meio, terá quatro meses e depois de dois anos comprovados, 05 meses de seguro desemprego.

Nova Regra

No começo do ano de 2015, a presidente da república aprovou uma emenda que modificou o prazo mínimo para se receber o acesso ao seguro desemprego. Anteriormente, o mesmo poderia ser solicitado com apenas 06 meses de trabalho comprovado em registro em carteira. Hoje, para fazer uma nova solicitação, você precisa ter pelo menos um ano de registro. O pagamento feito pela Caixa será debitado em conta e você consegue sacar usando o cartão cidadão. Caso você não tenha um, poderá fazê-lo gratuitamente nas próprias agências Caixa.

Valor do Seguro

Os valores pagos a você não serão restituídos quando você conseguir um novo emprego, mas serão cortados se durante esse tempo de seguridade você conseguir arrumar um novo emprego. Isso acontece porque o governo entende que você não precisa mais dessa vontade de subsídio, mesmo que esse emprego ainda seja um “teste” e você não tenha a confirmação completa da vaga.

Para saber o valor do seguro desemprego a que você tem direito, observe a regra matemática de cálculo, que poderá ser aplicada para qualquer pessoa.

  • Funcionário que recebia até R$1.222,77 – multiplica o valor por 0.8;
  • Funcionário que recebia de R$1.222,77 até R$2.038,15 – multiplica por 0.5;

Funcionário que recebia acima de R$2.038,15 – receberá um valor fixo de R$1.385,91.

Sem imagem

BACEN divulga edital de processo seletivo para novas vagas

outubro 29, 2018 Geraldo 0

Um dos concursos mais aguardados pelos concurseiros de plantão está muito perto de ser autorizado.

O Banco Central do Brasil tinha a data limite de 31 de maio do corrente ano para encaminhar o pedido de um novo concurso ao Ministério do Planejamento, já que para que seja autorizada a realização do concurso é necessário que a solicitação seja incluída no Orçamento anual de 2019. O pedido foi protocolado na terça-feira, 1° de junho na Assessoria Técnica e Administrativa do Gabinete do Ministro do Planejamento.

O BACEN está passando por grande necessidade de pessoal para os quadros de carreiras de Procurador, Analista e Técnico. Como a legislação estabelece que o órgão tenha no mínimo 6.170 servidores, O déficit no seu quadro de pessoal já está em torno de 2.000 servidores. Isso se deve a desligamentos voluntários, exonerações e aposentadorias de servidores.

De acordo com informações de Daro Marcos Piffer, presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BACEN, essa deficiência no quadro de funcionários acaba interferindo de forma negativa, “acarretando no não atendimento de todas as demandas do órgão, e devido a isso, o Banco apenas atende as demandas consideradas mais importantes, atrasando os processos”. Daí a necessidade de urgência da realização do Concurso BACEN 2020 para a nomeação de pessoal para atender todas as demandas.

Vagas, Requisitos e Salário BACEN

O Concurso BACEN 2019 oferecerá vagas para o cargo de Técnico, Analista e procurador. Para o cargo de Técnico, o nível de escolaridade exigido é o ensino médio completo. A remuneração será em torno de 6.000,00. Para o cargo de Analista, o grau de ensino exigido é Nível superior completo em qualquer área do conhecimento. A remuneração de R$ 16. 298,90.  Já para o cargo de Procurador é exigido bacharelado em direito, inscrição na OAB e, no mínimo, dois anos de prática forense. A remuneração neste cargo é de R$ 17.788,33. Em todos os salários já estão inclusos o cartão alimentação, cujo valor é R$ 458,00.

Por ser uma oportunidade de garantir uma vida profissional estável, com uma carga horária justa e bons salários, o Concurso BACEN 2019 certamente será muito concorrido. Em concursos como esse que terá uma concorrência qualificada e numerosa, o que acaba por exigir elevado grau de dificuldade, é de vital importância que o candidato inicie a sua preparação com grande antecedência.

Uma das maneiras mais práticas de iniciar a sua preparação para concursos que ainda não tem edital publicado é usar o último edital como parâmetro. Dessa forma o candidato terá um direcionamento, o que não permitirá que perca o seu precioso tempo estudo conteúdos que poderão não ser cobrados na prova.

Último Concurso do Banco Central

Baseando-se no último edital do concurso do banco Central do Brasil, ocorrido em 2013, organizado e aplicado pela Cespe, para os cargos de Analista e Técnico, o conteúdo programático constava de provas objetivas e discursivas, avaliação de títulos, que foi cobrado apenas para o cargo de Analista e programa de capacitação.

A prova objetiva versou sobre Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Direito Administrativo, Economia, Sistema Financeiro Nacional, Política Econômica e Monetária, Contabilidade, Fundamentos de Gestão de Pessoas e Gestão e Análise Processual.

Sem imagem

Maranhão cai para quinto lugar entre maiores produtores de arroz do país, segundo a Conab

março 10, 2016 Geraldo 0

O Maranhão, que foi o terceiro maior produtor de arroz até 2014, caiu para a quinta posição, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sobre a safra 2015/16, divulgados nesta quinta-feira (10). De acordo com os números, a cultura do arroz no estado deverá ter uma área cultivada de 207,8 mil hectares, 40,6% menor do que a safra passada, alcançando uma produção de 229,2 milhões de hectares, 39,7% inferior à safra 2014/15, que foi de 496 mil toneladas (no registro, o governador Flávio Dino participando da colheita do ano passado, quando prometeu mais incentivos para a agricultura).

Plantação de Arroz Maranhão

Com este desempenho, o estado ficou atrás do Mato Grosso (497,4 mil toneladas), Tocantins (551,7 mil toneladas), Santa Catarina (1 milhão 041,9 mil toneladas) e Rio Grande do Sul (7 milhões 844,2 mil toneladas).

Segundo a Conab, em Arari o arroz irrigado encontra-se em estágio de desenvolvimento vegetativo, com todo plantio executado, assim como no município de Viana. Foram detectadas nestes campos pragas como a bicheira da raiz (Oryzophagus oryzae), onde o principal dano é causado pela larva que se alimenta de raízes jovens e o percevejo-do-grão (Oebalus poecilus) onde os adultos permanecem nas plantas daninhas, principalmente no capim arroz, dentro ou fora da lavoura, e atacam o arroz no florescimento.

O arroz de sequeiro nos outros municípios o plantio ocorreu em dezembro e janeiro em decorrência das chuvas. O estádio dessa cultura encontra-se 20% germinação e 80% em desenvolvimento vegetativo. Não há relatos de infestação de pragas e doenças, e as lavouras estão 100% boas. As lavouras de arroz foram atacadas por lagartas nos municípios de Buriti, Chapadinha e Vargem Grande (e jurisdicionados), visto que em Buriti houve danos leves a moderados em aproximadamente 20% da área, enquanto em Vargem Grande, 40% da área sofreu danos leves a moderados e 10% mais severos.

No município de Chapadinha, aproximadamente 20% da área também sofreu algum dano, no entanto, não prejudicou consideravelmente o desenvolvimento da economia, pois esta conseguiu recuperar-se sem necessidade de aplicações de defensivos químicos ou mesmo controle alternativo, mas apenas os eventos de chuvas foram suficientes para controlar a praga.